Imagem capa - Casamento DIY faça você mesmo! por ANDERSON CARLOS CREPALDI
DIYEstiloIdéiasPlanejamento

Casamento DIY faça você mesmo!

Sabemos que poupar nem sempre é uma tarefa fácil e ainda quando se trata de CASAMENTO. Nos tempos de hoje é um sonho que precisa de organização e acima de tudo, um bom planejamento. Tendência entre casais que procuram a palavra ECONOMIA, o casamento DIY (Do It Yourself) ou “FAÇA VOCÊ MESMO “conta com uma festa em estilo mais descontraído e simples, sem ser charmoso. O objetivo é buscar soluções de forma independente para que se torne algo personalizado e sem gastar muito. Esse tipo de comemoração pode trazer muito aconchego e elegância e assim, ter um casamento com tranquilidade, sem gastar muito. 

A diversidade que pode se trabalhar um casamento assim são muitas, pois, não se limita apenas ao rústico, em questão de estilo. O espaço, a decoração e cerimônia podem ser designados à diversos estilos de noivas, como modernas, românticas e clássicas, lembrando-se do “Menos é mais”. 

Determinação + criatividade foram os ingredientes principais para o casamento que foi realizado em Itatiba, onde o cenário foi a própria chácara da família da Mariana e do Thiago. Ideia que sempre foi estabelecida desde o começo com o estilo campestre. 

Cada detalhe, mimos que adornavam as mesas a ao redor da festa foi meticulosamente calculado e feito pelos próprios noivos. Segundo eles, foram quatro meses de planejamento e execução até o grande dia para que tudo ficasse com a cara e personalidade deles. E conseguiram! Ficou incrível! Saber economizar é a palavra-chave.

A Mari nos contou um pouquinho de como foi toda a preparação desde o início. Vamos ver um pouquinho de como foi? 


" Após o pedido de casamento começamos a pesquisar locais, fornecedores e tudo relacionado. Porém, eu e Thiago não somos muito de gastar dinheiro com coisas que acreditamos ser absurdas. O mercado de casamento está cada vez mais caro, inatingível. Tudo começa em mil reais e o céu é o limite. Queríamos algo emocionante, mas tranquilo onde os convidados se sentissem à vontade e sem aquele padrão tradicional de casamento. Pedi milhões de orçamentos e nada se encaixava no nosso estilo e Budget até que desistimos de fazer uma festa. 

No final de janeiro, depois de irmos em algumas festas, eu estava querendo muito que tivéssemos algo para marcar o momento da união. Já estávamos morando juntos, porém havia a necessidade de compartilhar esse momento especial com os pais, amigos e familiares.  

Assim juntos, tivemos a ideia de fazer uma festa simples, estilo junino e rústica na chácara da família dele em Itatiba.  

Como gosto e sigo muita coisa DIY, comecei a toda semana ir na 25 e em lojas de artesanato comprar materiais e a produzir meus itens de decoração. Os potes de vidro para os centros de mesa pedi a amigos e familiares que guardassem, costurei os guardanapos de chita, pintei bandejas para a mesa de doces, peguei caixotes de laranja e tomate na feira para decoração, comprei pallets para o altar da cerimônia... cada cantinho tinha um detalhe pensado por mim e assim saiu o casamento inteiro DIY.

Meu casamento marcou a minha vida e a do meu noivo, e de todos aqueles que participaram. Muitos fatores contribuíram para isso mas o principal deles: nosso casamento tinha a nossa cara, nós que montamos cada cantinho, tem amor em todo lado. Hoje, muitas noivas se preocupam com o chinelo, a marca dos doces que vai ter, qual a decoração top que vai contratar e podem se esquecer que o momento é dela. O especial está em o casal eternizar o momento.
Claro que bons fornecedores são importantes, mas tem que tomar cuidado para o casamento não perder a identidade do casal. Como o meu tinha muita coisa DIY, realmente ficou com a nossa carinha, porém mesmo que a noiva não saiba fazer nada, ainda é possível fazer algo especial e menos comercial.
 Muitos se preocupam que o DJ tem que ser o do momento mas esquecem de abraçar e beijar o noivo na pista de dança e lembram de "ficar louco".
 No meu casamento havia apenas 1 fotógrafo - Maravilhoso Anderson Crepaldi -  isso permitiu que todos focassem a atenção aos noivos - não havia outro ponto de atenção além de nós. Não haviam pessoas de um lado para o outro querendo mil fotos e querendo pegar a mãe da noiva chorando - eu sabendo que não haveria vídeo, guardei cada emoção, sorriso, lágrima na memória, no coração. Consigo reviver tudo na mente pois estava ali 100% entregue ao momento, esquecendo se a maquiagem borrou, se pisei no vestido ou se a franja estava caindo no olho, pois era natural e genuíno, sem preocupação de beleza e apenas vivendo aquele momento especial. Não existe casamento feio, chato. Onde tem emoção, fica inesquecível.
 Sou a favor de casamento menos comerciais."

 

E para começar, a entrada foi recepcionada com dois lindos aparadores de madeira, servindo deliciosos bolos caseiros de banana, cocada, que me fizeram lembrar de minha infância. Ao lado de vasos de margaridinhas e cachepôs, haviam as lembrancinhas do casamento, um vidro com ervas e especiarias que dizia “O tempero secreto da vida é o amor seguido dos bem-casados (que por sinal estavam deliciosos) amarrados em corda.



 

A decoração de toda a chácara foi pensada para que a família permanecesse unida, ou seja, as mesas foram posicionadas formando fileiras juntas e nada individual, com um varal de luzes que percorria todo o lugar e trazia charme e aconchego para o lugar. 


 

Como foi no inverno, para esquentar a noite de frio, uma enorme fogueira aquecia a todos ao lado de uma boa música ao vivo ao som de violão e gaita...e gente: fiquei encantada por ter uma fogueira para aquecer a todos! Foi a atração da festa. 



 

Com alguns caixotes de feira, muitos pallets e uma cortina de luzes amarelas, a cerimônia deu-se início no fim da tarde e foi realizado em um clima intimista e descontraído. Estilo de cerimônia perfeita para todos os tipos de religião. 



A grande mesa de madeira com doces ao lado da ponte que acomodava uma cascata, recebeu 12 tipos de docinhos típicos de festa junina, dentre amendoim doce cristalizado, doce de leite no copo...




O cardápio foi muito bem pensado e criativo – para aquecer o frio, foi servido caldo de feijão, quentão, patês, queijos, frutas e pizzas. Para as bebidas, carrinhos de mão, foram distribuídos por todo o lugar, decorados com flores e gelo, tornando-se um "ponto" fixo das bebidas. Um mural com fotos de viagens, momentos que foram eternizados em papel se destacavam de forma carinhosa.

 












Se sentir em casa... esse foi o objetivo principal da Mariana e do Thiago, quando decidiram programar e organizar o próprio casamento, pensando na verdade do momento e esquecendo de todas as formalidades que muitas vezes são impostas em busca de um casamento "perfeito".


Você também fez seu casamento em DIY? Tem vontade de fazer? Deixe seu comentário logo abaixo! Vamos adorar conhecer a sua história!.


Inscreva-se para receber as minhas novidades :)

* indicates required